sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Aquela mesa que você gostava
continua no meio da sala,
aqueles discos, ainda do lado da vitrola,
aquela poeira, o mesmo cheiro,
os mesmos espirros.

A caneta, os papéis
e a falta do que dizer
ainda estão aqui.
Tudo do jeito que você deixou,
quando fechou a porta da sala.

O lençol, o perfume e
até a toalha estirada na cama,
onde nós nos exprememos,
eu enquanto durmo,
ela enquanto te espera,
ou o contrário não sei dizer.

Tudo no mesmo lugar ,
nada mudou.
Exceto eu, eu mudei, por você,
por todas aquelas reclamações,
eu coloquei tudo no lugar,
enquanto me essquecia do mundo aqui fora.
Organizei tudo na nossa mesma bagunça de sempre,
entre colchões, tv's , cd's, dvd's,
entre o caos eu busquei sair da uniformidade.

E se estiver me ouvindo agora,
eu espero que me desculpe
por não ter ligado antes,
eu precisava fazer isso por você
e consequentemente por mim.

É isso estava meio ensaiado,
por isso não exitei em dizer
um vírgula se quer,
era pra ser uma carta mas tenho pressa,
tenho urgencia de você.
E ansia de uma resposta.

Eu queria dizer que...

_ Bennnhhhh ! A campainha toca.

- Oi! _ Diz ele ofegante ainda.
- Oi, tô falando com sua secretária eletrônica. _ Disse ela com um sorriso sem graça.
- Quando eu vi seu número eu corri pra você.

[Fim]

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Pra mim, talvez não pra você que leu e imaginou
o que aconteceu depois.
Adorei o Benhhhh da campainha.
xD

E sim é que nem akels telefones
tipcamente americano que você só atende
se quiser e você ainda ouvi o recado
na mesmo hora que a pessoa deixa.

=* proces.

5 comentários:

Adrielly disse...

GRande
=OO


xD

Fernanda disse...

Dri, você falava esses dias do cotidiano, eu insisto em te dizer.Tem coisa mais corriqueira que isso? A ânsia, o desejo de estar com alguém, os momentos que a gente passa com essa pessoa e a vontade de repetí-los?
Isso não é, infelizmente, tudo o que nos tira do chão, pobres românticas incuráveis, e meninas nostálgicas? Affe, que destino mais cruel esse nosso, mesmo quando a gente só se entrega ao desejo de estar na cama com alguém ,parece mais especial do que talvez realmente seja...
Os "flash backs", que vc citou lá no Espelho, são uma coisa que nos deixa confusa.São reminiscências, fragmentos de momentos, e quando envolvem fragmentos de pessoas, nos deixam mais confusas ainda nesse turbilhão de sensações e emoções.E por isso é tãpo legal.Porque é inebriante!Não é?

Beijooos, boa semana!

Fernanda disse...

Ah e obrigada pelos comments dos filmes.
Ainda to tentando organizar na minha kbeça uma lista decente, se pudesse, veria filmes o dia inteiro =PP

alexandre henrique disse...

lembrou-me Cazuza. =D não estou te acusando de plágio. gostei. começou poema... terminou texto. isso foi inusitado, pelo menos pra mim. deu um efeito legal e dinâmico. parte do seu livro? tem algo diferente também, é um texto mais direto, aparentemente. curioso... ou talvez seja o meu estado de espírito. tou te devendo algum escrito neh... ah!, e um chocolate branco também! pago quando puder. beijos e até!

Lu Morena disse...

Adorei isso. Daria um ótimo curta!