quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Sobre Borboletas

- Sabe qual o animal que eu mais gosto?
- Hum, o leão?
- Não! Porque leão? – Olhou com um ar de quem ficara intrigada com a resposta, porém sorria.
- Ah é que você é tão determinada. Sempre vai atrás do que quer.
- Não. Eu gosto das borboletas.
- Nossa! Totalmente o contrário do que eu havia pensado. As borboletas são tão frágeis.
- No fundo, todo mundo é.
- Mas porque as borboletas? Pela fragilidade?
- Não. Ah não sei. Elas são tão bonitas e coloridas. A cor é sempre uma coisa que remete alegria. Elas devem ser bem felizes, além de serem bonitas e coloridas elas voam. As cores de algumas são tão vivas e tão chamativas.... Nunca encontrei uma borboleta que fosse igual à outra, e olha que eu sempre vejo muitas borboletas. Mas nem tanto pela beleza sabe? Acho que o ponto principal é ela se tornar uma borboleta. Quero dizer, ela não nasce borboleta e fim. Ela vira uma borboleta, meio que a história do patinho feio sabe? Quando ela entra no casulo ela é uma lagarta.
- Écati.
- Ninguém gosta de lagartas. Mas o que eu quero dizer não é nem sobre tornar-se bonita. Mas TORNAR-SE, TRANSFORMAR.
- Hã?
- As borboletas se dão tão bem com a MUDANÇA. Vai ver que é por isso que ela fica tão colorida e feliz, porque ela leva numa boa as mudanças. Pra quem já foi lagarta poder voar é a alegria suprema. Eu odeio mudanças, não me dou bem. A rotina é que me dá segurança sabe? Você já tentou resolver ou entender seus complexos do presente olhando pro passado?
- Claro.
- Eu faço isso o tempo todo. Vai ver é porque minha mãe era meio inconstante, o meu pai viajante. Eu tenho medo de mudanças, mas quero logo sair dessa cidade. Contraditório isso, não é?
- Vai ver é seu jeito de enfrentar o medo. Olhando cara a cara pra ele. Destemida como um leão.
- Hahahaha. Um leão deve ser triste.
- Não, não é. Porque seria? Ele é o rei.
- Exatamente por isso. Ele é o rei, tem sempre que defender seu território, se mostrar autoritário, essas coisas de rei. Você sabe que as borboletas gostam de mim?
- Não. Sério?
- É. As borboletas quando voam próximas, sempre encostam em mim. Eu tenho até algumas que moram dentro de mim. Segredo, mas algumas moram dentro do meu estômago.
- Nossa, que legal.
- eu acho até que elas gostam de você também.
- Mesmo? Por quê?
- Porque só quando eu estou com você é que sinto elas se alvoroçarem aqui dentro.


27/01/09

26 comentários:

impulsos disse...

Escreves sempre tão bem!
Transportas nas tuas palavras todo o sentido que existe na tua grandeza do ser.

Beijo

Carol disse...

Posso me emocionar agora?

Lindo!Perfeito

Insolente disse...

que lindeza!

Nina Vieira disse...

É a vontade de voar, pra nao manter os pes no chao e nem criar rancor.
Eu moro num lugar repleto de borboletas. Mesmo. Aqui tem muitas flores que minha ma cria. Borboletas e passaros com frequencia sao bem vindos.

Paola disse...

simplesmente lindo! tu escreves com sabedoria. sabedoria, uma jóia rara!

Nadezhda disse...

Tenho essa iamgem das borboletas, mas quandoa s vejo de perto, elas parecem tão tristes.

;)

Robin K disse...

É tão bom quando alguém nos faz sentir as borboletas no estômago.
Gostei muito deste texto.

Maria Fernanda disse...

P E R F E I T O! Mega, mega, mega perfeito!

Sei da sensação que é ter borboletas morando no estômago. E mais ainda, da maravilha que é ver uma lagarta nascer borboleta.

Paola disse...

Ah, Dom Casmorro é a minha paixão literal. eu já li três, e cada vez eu aprecio mais.

Realmente eu adorei a minisérie. No meu ponto de vista ela permaneceu bem fiél à obra.
E o Bentinho realmente tinha essa idéia fixa de que o filho não era dele. Ele chegou a cogitar a idéia de matar o filho, para amenizar o sofrimento da alma dele em ver o fruto da traição de Capitu. Pra mim ele era neurótico. Hahah

Salsa disse...

Como segui-la, menina? Isso tornou-se uma necessidade.

meus instantes e momentos disse...

parabens , muito bom.
Maurizio

Rayanna. disse...

Nossa, nem me fale em tempo. Nesse tempo, de agora, mais do que nunca, eu tenho aprendido demais com ele. Nada como ele, né? oiaheoihae.. ele vem e vai, mas as coisas que ele traz, ficam!

Bella disse...

Olhando assim, realmente...faz todo sentido preferir as borboletas. Lindo texto!

meus instantes e momentos disse...

voltando para te desejar um feliz domingo.
Maurizio

Sergio disse...

Lindo, menina. Você precisa de tempo pra ser lida. Os seus diálogos são caprichados, ágeis. Bom pra você. Já pensou em ser roteirista?

Só uma coisinha. Não chateia com o toque, mas quando se escreve bem assim como vc, a gente q é bem mais velho, tem necessidade de cuidar: e se vc trocasse o "animal" por "bicho" que mais gosto? É que animais, nem sei se é regra, mas tem mais a ver com vertebrados e mamíferos, já bicho é cada serzinho animado, enfim...

Um detalhe q pensei com seu texto: as lagartas são dezenas de pés no chão. Sabe a expressão, pé no chão? E de repente aquele bicho tão terreno se liberta cheio de leveza. Teu texto me fez pensar. É o q importa.

Dani disse...

Elas são bonitas e coloridas, e o mais invejavel: elas voam! :)

Cláudia I, Vetter disse...

é como hoje em dia se diz, ''eu te amo''.

;)

beijos, querida!

Raíza Sousa disse...

Pra quem já foi lagarta poder voar é a alegria suprema.

Incrivel como você sempre consegue no mínimo uma frase perfeita a cada texto seu!

Amooo vc delinosa!

=*

HenriqueM disse...

Desde que abandonei meu blog, não tenho lido outros. Mas fico feliz de voltar com o meu, e voltar a ler os alheios. Acho que esses meses fora da blogosfera me fizeram perder muitas coisas boas, se eu levar em consideração o que acabei de ler.

O final, simples e lindo, não é o que estou acostumado. Tampouco faz o meu estilo. Mas me tocou tanto, que esse é o tipo de texto que comentarei com amigos.

Pena que uma borboleta tenha vida curta - seis meses, no máximo. Mas sua beleza, ainda que por pouco tempo, sempre nos faz alegrar-se com a vida, e a ideia de transformação.

Parabéns pelo texto.
Um beijo.

Camila :) disse...

caracas quuee niindoo *.*

Layse disse...

Nossa, o que que é isso, menina?!? Esse, de todos eles, pra mim, foi o mais lindo! Adorei esse final aí! Parabéns, parabéns e parabéns,... de novo! ;D

Mary West disse...

Deu-me orgulho de ter algumas tatuadas.

Mayana Carvalho.♥ disse...

Maravilhoso! Texto pra se emocionar de tanto sentimento.

..aaah as borboletas
Beijos

Liquificadorizando disse...

Que lindo! Adoro finais fofos!

rs

Beijos.

Francine.VS. disse...

Agora assim, voltei para ficar! Estava morrendo de saudades daqui! Mesmo com o trabalho paralelo, meias férias, folgas e preparativos para outra viagem/carnaval, vou arrumar um tempo pra vir te bisbilhotar e postar minhas terapias, filmes, as novidades da Bahia e outras coisas! Adorei te ver! Seu blog continua um show!
Beijos e boa semana!
Francine

Robin K disse...

Por vezes, mantermo-nos felizes com este sentimento de se estar incompleto, é frustrante como escavar em água.

Muito obrigado pelo teu comentário tão carinhoso. Fez-me sentir bem.