sábado, 7 de junho de 2008

Sobre Dificuldades.

Era difícil ser ela... Falava tanto dos seus sentimentos das horas vagas dos barulhos, das histórias e às vezes com a mesma intensidade esperava ouvir; histórias de um dia cansativo, besteiras do cotidiano profissional, confissões, qualquer coisa.
Era difícil ser ela... Com toda aquela beleza extravagante, aquelas formas tão ainda juvenis que encantava a todos que a viam, até mesmo pessoas do mesmo sexo. Pois sabia se portar, se vestir sem toda aquela vulgaridade que às vezes via e não entendia. Mas tanta formosura a obrigava a duvidar várias vezes das intenções alheias, para o seu próprio bem.
Era difícil ser ela.... Trabalhar com tanta gente, ter que saber o nome de cada funcionário ali. Organizar-se, esforçar-se dedicar-se pra no fim levar um culpa em suas costas que não lhe pertencia.
Era difícil ser ela... Desavenças com a família que não entendia o caminho que ela queria seguir, não entendia que ela amava a todos, mas não podia em hipótese alguma abdicar de suas vontades para as vontades alheias, não podia abdicar de sua alegria para a alegria alheia, como vira sua mãe fazer várias vezes enquanto em silêncio, no canto, sozinha, a condenava por isso.
Era difícil ser ela... Os dias eram cansativos, pesados, entendiantes, duradouros...

Era difícil ser ele... Aceitar que ela ganhasse mais e por isso também pagasse mais das despesas da casa, arrancava fortemente o brio de todo aquele machismo antiquado cravado nele, herdado do pai. Vivia esperando alguma grande promoção que aumentasse o ordenado, mandava currículo para firmas novas e não demoraria para que subisse na vida, ele, sua competência, sua determinação e seu machismo.
Era difícil ser ele... Tão inseguro, tentando agradar a todos, o máximo que conseguia, sentindo perder ela a cada manhã que acordava, pois o tempo passava... E não há nada pior do que o tempo, que desgasta, que corrói, deteriora, enferruja. E isso abrange não só os relacionamentos, inclui também os sonhos que aos poucos se tornam menos viáveis.
Era difícil ser ele... Querer falar explicar o que ela não entendia, o que ela não sabia, mas gostava tanto da voz dela, de como ela sorria docilmente quando falava de como estavam bonitas as rosas que plantaram juntos, então ele nessas horas se esquecia do que queria falar e ficava olhando pra ela a contar como depois por o adubo regariam as plantas no Domingo.
Era difícil ser ele... Que às vezes queria jogar tudo pro alto e fugir com ela, pra qualquer lugar que ela quisesse, que às vezes queria chorar no colo dela como fazia quando eram pirralhos e ele contava pra ela desilusões das namoradas de colegial.
Era difícil ser ele... Aceitar tanta independência tanta precisão, tanta inversão de papéis a falta que ela fazia a falta que fazia um filho dela e que sua mãe lhes cobrava tanto nos almoços de família.

Mas no fim do dia, quando se deitavam, juntos, cansados de mais um dia banal de trabalho, se equilibravam entre o calor das mãos quentes dele e o gelado dos pés frios dela.
E por se completarem, por se entenderem, se aceitarem, se quererem agradeciam todos os dias em uma qualquer oração que faziam fielmente, todas as noites, depois daquele cordial "Boa noite, meu bem.”.

8 comentários:

Kaká =D disse...

No fim...
É tão difícil ser qualquer um!
=/

Saudades enoooormes de vc!
=Pp

Como q foi sua viagem?

=*

Gabriel Pinto disse...

oi, queria que vc desse uma olhadinha no meu blog

http://sempoeticasrazoes.blogspot.com/

Gabriel Pinto disse...

obrigado!!!

De disse...

Adry,

Menina, AMEI o teu texto :o)
De verdade!!!
Em especial a parte do "choque térmico" - hahahhahahah
Vou te pedir um favor, algo que me foi pedido há tempos: volte ao passado e releia as coisas que já escreveu. Talvez chegue à mesma conclusão que cheguei: Tem idéia do quanto vc mudou e evoluíu como escritora???? Tem idéia o quanto ficou melhor e mais gostoso lêr o que vc escreve???
SIM, isso é um elogio para vc! Pela leveza e pela qualidade dos teus escritos!
Espero que vc esteja bem.

Abraços e uma ótima semana para vc!!!

Júlia disse...

sobre seu comentario:
tenho um amor to bonito só pq engilo, tolero, fantasio..
e bom, é tão dificil ser apaixonada..

beijos, bonita.
palavras gostosas..
esse blog é sempre uma boa surpresa.
;*

*¢£@üD!NhA''' disse...

Bonito, bonito. Percebo crescimentos, pontadas maiores de teus sentimentos nestas palavras, que seja de fora pra dentro, de dentro pra fora;
no que se vê, no que se sente, sempre há fragmentos de nós, de um todo pra algum, o primeiro passo é fatal.

;****

Ricardo Almeida disse...

É difícil ser.
bjs

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu