quarta-feira, 12 de março de 2008

Sobre Mentiras.

O Telefone DELE toca. Ela pega. Mensagem. Ela lê.

"“ Oi, eu estava com saudade,
você sumiu, me liga, beijos.
Ass.: Denise. ""

Ele toma o telefone da mão dela, (Afinal o telefone lhe pertencia e não a ela) lê e pensa.
Pensa em algo pra falar assim que ela lhe perguntar, talvez não a verdade, nem a completa mentira,
só algo que a convença, já fizera isso mais vezes, sabia em qual tipo de história ela acreditaria.
Ele a conhece tão bem!! Afinal fazia 1 ano que namoravam. [pensava ele]

Seguiram-se minutos de silêncio. Ele queria explicar e ela... ela já nem sabia se queria mesmo saber.
Ele estava inquieto, como quem mente ao contar uma história absurda, afinal, as historias absurdas são sempre assim,
como um all-in numa partida de Pôquer, ou se ganha ou se perde tudo, mas a historia dele nada tinha de absurda,
era simplesmente... uma historia, ou mais uma história.
Ela sabia que ele queria explicar, então, ela fazia de conta que não queria saber.
Ela também o conhecia... e sabia que mesmo sem ela perguntar ele acabaria contando, ou se explicando.
Ela não daria uma de namorada ciumenta agora, embora por dentro se roesse de curiosidade e.... ciúmes.

-E então, não vai me perguntar quem é??
-Não, não vou.
[ela falou serena e fingida]
-Ué, mas eu quero te dizer!
-Então não precisa de eu perguntar!

Ela estava meio nervosa, ali na porta da casa dela ela poderia resolver tudo tão fácil,
era só dizer boa noite e entrar, no caso de uma discussão, mas mesmo assim decidiu não ouvi-lo,
não queria ficar com aquela velha sensação de estar sendo enganada.

-Não precisa falar nada, deixa eu evitar que você conte uma nova mentira na qual eu sempre acabo acreditando,
mesmo me achando uma idiota por confiar em você e sabendo que estou acreditando em mais uma de suas histórias,
eu sempre acabo acreditando.
-Amor?!
-ME beija?!

Enquanto se beijavam ele pensava que talvez não a conhecesse tão bem quanto pensava
e ela pensava se era pior não ser enganada descaradamente,
ou se seria pior ouvir dele mentiras e ela ter que fingir que acreditava.
Então ela resolveu mais uma vez passar por cima disso tudo,
não queria ficar sem ele, ou não queria ficar só,
mas afinal, não continuou a mesma coisa?
Ela fingindo que não tinha nada a incomodando?
Mas ela se deixou levar pela covardia, porque ela sabia que daqui a algumas horas,
carinhos, palavras e juras de amor ela esqueceria de tudo que se passou.
Ela já não queria mais pensar... e tentou fazer daquele fim de noite algo mais agradável.

-Você me leva ao cinema amanhã?

Então ficaram ali fingindo um para o outro,
se beijando, conversando, até que a hora de ele ir embora chegasse,
porque cada um tinha seus afazeres na manha seguinte.
E ela foi dormir com incrivelmente nova e desagradável sensação de... estar sendo enganada.


9 de Julho de 2007.

9 comentários:

Kaká =D disse...

Sinceramente eu não aguentaria ser ela e muito menos ele.
Assim como vc mesmo disse:
"Porque ela quando tem problemas, pensa demais."
E esse pensar demais nunca me deixaria fingir q nada acontece!

=*

Betty Branco Martins disse...

.querida_______Adrielly





excelente.texto


quem____o ler




deveria.tomar como


reflexão.as tuas palavras





.mentir

nunca.é.a.melhor.solução


.e fingir

que não _____percebeu


a mentira



.pior.ainda!!!





________obrigada pelas
tuas palavras:)












beijO c/ carinhO

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

Bom domingo

Doce beijo

O Profeta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
impulsos disse...

Por vezes existem situações em que se prefere viver fingindo que nada de anormal acontece... a ter aquela terrível sensação de abandono.
Mas, que de pior será? Saber que se é enganado, fingir que não sabe e não fazer nada?
Ou nada saber e sê-lo na mesma?

Traição é sempre traição!

Beijo

PS. Escreves muito bem menina, parabéns!

Fernando Rozano disse...

gosto muito das tuas reflexões, ricas, densas e que a escrita passa com naturalidade para que te lê. excelente. abraços.

♥M@cellY♥ disse...

Acabei de me ver ne´sse post.. mas... águas passadas não movem moinhos,,, e um dia averdade vem bater a porta,agente queira ou não... um dia ELa vota a viver a verdade.
Bom, não estou aqui pra isso... rsrrsrsss
Agora que to com net em casa vim deixar um beijinho e desejar que nessa páscoa, que simboliza a ressurreissão de Cristo, ressicite tbn em ti todos os sonhos que foram julgados impossíveis, e não eram, que renasça em ti todas os palnos largados no baú da memória e que todas as esperanças já agonizantes ressurja em ti para que possa motiva-la ao melhor, esperança e ação...
Tudo dará certo!
Bejos e
feliz Páscoa

♥M@cellY♥ disse...

Esqueci de perguntar.... como foi o dia 10? e como está a sua filhota????

bjinhus querida!

Lu Morena disse...

Pois é. Acho que antes de perguntar alguma coisa a gente deve estar preparado pra ouvir a resposta. E lidar com ela. Se o coração não sente o que os olhos não vêem, pode-se escolher ainda o que se quer ver. Em situações cômodas, escolhe-se não enxergar, Jogar os problemas debaixo do tapete, como se o simples fato de fingir que eles não existem fosse capaz de acabar com eles (mas tudo o que conseguimos é aumentar a pilha de problemas, até torná-la grande demais para se poder consertar...).
ai ai, muitas divagações pela cabeça.
Bjins