segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Sobre Mudanças

Acho, sim, que com o tempo você acaba desenvolvendo algumas habilidades, e conseqüentemente se especializando, e algumas outras habilidades vão atrofiando, às vezes lentamente, às vezes mais rápido.

Você me ensinou a dizer a verdade, e me ensinou a querer que aquilo que eu pretendia dizer fosse verdade, assim eu não precisaria mentir.

Antes de tudo preciso te agradecer, tenho vivido a verdade e dito verdades, tenho aprendido a sentir o que expresso e tenho tido ótimos resultados. Quando pretendo dizer à alguém que gosto, me esforço pra gostar e assim não faço mal à mais ninguém. Quando pretendo dizer que sinto saudade, digo pra mim mesmo que tenho saudade até me convencer, me esforço pra pensar em todos os aspectos da pessoa que eu queria por perto, assim não preciso mentir pra ninguém.

Mas só agora entendi que você ensina o que não consegue aprender, você sabe todos os passos, todas as etapas, mas não consegue chegar a nenhum resultado satisfatório.

Por você aos poucos fui atrofiando minha capacidade de ser convincente. Depois que você disse odiar como eu argumentava esperando que a segunda, terceira resposta fosse sempre diferente da resposta anterior, então eu resolvi que falaria uma vez só sobre cada assunto e não repetiria perguntas. Porque você disse que sua resposta sempre seria a mesma, para a mesma pergunta, em tão curto espaço de tempo, e disse que odiava quem fazia charminho, dizendo uma coisa e querendo outra. Não argumento, não insisto, e você diz que é porque eu não faço questão, por isso me contento sempre com a primeira resposta.

Não sei mais inventar desculpas pra não dizer os meus reais motivos, porque você disse que é mais digno dizer o real e mais forte motivo. Então você pergunta se eu acho que ficaremos mais um ano juntos e eu digo que acho difícil, porque você está cada dia mais me afastando de você. Então você diz que me falta romantismo, ou que não tenho medo de te magoar.

Você sempre disse gostar de gente honesta, sincera, que não se esconde por trás de coisas que não sente, gente simples, mas ainda não conseguiu fazer isso se tornar verdade pra você, nem repetindo várias vezes. A verdade é que você gosta de tramas envolventes e de mentiras convincentes, complicação. Eu não sou mais assim.

Então, façamos um trato, ou você começa a falar a verdade, ou eu reaprendo a mentir, porque se hoje eu sou algo que você não quer, a culpa é sua por me tornar tão detestável.


Obs: @des_amor

11 comentários:

Ly disse...

Nooossa! Que palavras fortes!

Ju Fuzetto disse...

Intenso!!!


beijo

Endry disse...

Guria!
Falaste tantas coisas que estão presas em meus pensamentos... Magnífico!
Adoro esta tua capacidade de tornar escrito aquilo que é sentido, pensado...

vic disse...

é uma mais perfeito que o outro , não em como não viciar aqui ! HAHA *-*

Nina Vieira disse...

Mudanças são bem-vindas, sempre. Mas admito que detesto mudar pelos outros. Tento fazer isso por mim mesma.
Um beijo, minha amiga.

Gabriela Galvão disse...

Ah, pronto. Aih eh aqilo q te disse em resposta ao seu comentário: talvez a gente viva o q eh verdade pra nós.


Seu texto eh lindo.




Beijo

João Lenjob disse...

Olha, hoje eu peço perdão do fundo do coração, mas só vim mesmo avisar que como o meu blog http://lenjob.blogspot.com está completando CINCO ANOS eu postei lá DEZ POEMAS novinhos de presente e aguardo sua visita prometendo voltar aqui para degustar do seu.

João Lenjob.

Rosas Vermelhas
João Lenjob

Foi a alegria que tanto me deu
E das juras que fizemos porém
Das rosas vermelhas que eu lhe dei
Num buquê as promessa tão cheias de amor
Do presente o sorriso sincero tão bom
Da alegria que me ensinou a viver
E da vida que só eu pude dar.

Da pureza do encanto que sentimos
A inocente ternura que nos rodeava
nos mais nobres momentos que soubemos estar
Viver.

Nas rosas vermelhas da vida
O amor nunca fora escondido
Um segredo vale tanto
O brinquedo em encanto de nunca perdido
Viver, você
Perpetuamente num jardim de rosas vermelhas.

Ricardo Almeida disse...

Aprendi a desconfiar dos desconfiados. A verdade também é relativa e provisória. O cinismo, sim, é detestável, mas acredito em mentiras sinceras. A única certeza é a mutação. Fuja dos que se pretendem a palmatória do mundo.
beijos

Eu,Pamela Gama. disse...

Lindo,lindo,lindo,lindo.
Muita gente deve ter me tornado detestavel.

carlos massari disse...

um dia, você simplesmente passa a ser você mesmo, sem ninguém poder te tornar mais nada. e o detestável vira mero ponto de vista.

Tiago disse...

love fades...

estava vendo annie hall do woody allen, uma personagem dizia isso:
o amor definha, não é culpa de nenhum dos dois.
se mudasse, ou se não mudasse o resultado não seria o mesmo? que sentimento patético que carregamos no fim do relacionamento?
depois volta a ser uma coisa linda, depois do fim.
linda e triste, depois linda e nostálgica, depois linda e nada mais, simplesmente amor.
sei lá o que estou dizendo...