domingo, 15 de março de 2009

Sobre O Meu Carnaval.

É, sim, eu ando sem inspiração, eu confesso. Uma semana do seu lado e você arranca facilmente todas as minhas feridas e aflições com a mão, sem eu ao menos sentir.A minha falta de inspiração tem nome, sobrenome, tem um metro e setenta e dois, cabelos negros e olhos puxados. E cresce de uma maneira totalmente previsível dentro de mim. É eu cheguei ontem a noite, queria ter chegado durante a manhã sabe como é, a noite é sempre mais depressiva. Fui direto pra cama, talvez pra descansar, talvez pra dormir, mas não fiz nenhum dos dois... eu chorei a noite toda. Quando eu começava a pegar no sono sentia sua mão na minha cabeça, me fazendo carinho, e quando eu ia abraçar você, sentia o pano frio do travesseiro. Injusto a minha mente me trair tanto assim, injusto ficar imaginando você comigo durante a noite toda, injusto ter a sensação EXATA dos seus carinhos e abraços enquanto eu durmo.Eu sinto sua falta, my dear. Falta dos cigarros de menta, falta das risadas abafadas no silencio da madrugada, falta dos gemidos sussurrados ao pé do meu ouvido, falta do toque, sinto tanta falta sua que sou quase toda falta [ como aquela menina de alguns posts atrás, e eu sentia pena dela]. Hoje eu acordei com o rosto inchado, olhos vermelhos, olheira funda. E lá fui eu, tomei um banho quente e quando voltei pro quarto fui logo tirando meu roupão de costas pra cama como eu fazia de costas pra você, quando virei quase te vi deitada ali com a sua cara de quem quer mais ( e você diria; “vem aqui, vem!”) e eu iria... iria me deitar com você e deixar você fazer o que quisesse de mim, mas você não estava não é? Então me deitei na cama abraçando o travesseiro, meu velho companheiro de noites afio, e chorei. Não faria diferença nenhuma mesmo, pra quem já estava com o rosto inchado e olhos afundados, chorar mais dez minutos não causaria mal nenhum. Mas resolvi levantar, sabe, REAGIR. Me vesti, saí, queria comprar alguma coisa pra me distrair, você sabe comprar sempre é um bom passa-tempo. Eu comprei um peixe. Um betta, ele se parece tanto com você meu amor... Quando o dono da loja me descreveu ele, eu nem perguntei o preço, peguei logo o azul (que é a cor da saudade, da tristeza e melancolia), escolhi um aquário e trouxe. Ele me faz companhia agora. Um peixe anti-social, que não sabe viver com seus semelhantes, muito menos com os diferentes, disseram que ele mata outro peixe, e se juntarmos dois bettas eles brigam até a morte. Gosto do temperamento forte dele assim como gosto do seu. Depois de dias com companhia agradável agora eu tenho a companhia de um peixe, mudo, brigão, que implica quando eu encosto meu dedo no aquário. Eu tenho saudade de você, não pense que eu te esqueci, não pense que não ligo pra ti, eu não vou sumir, não se preocupe, mas agora tenho que parar de escrever, tenho que arrumar meu peixe azul no aquário novo dele. Você pode me escrever pra aliviar a dor? Ligar na madrugada como quem se virasse na cama e me abraçasse? Você pode ligar no meio de uma tarde quente como se aparecesse pra me levar pra sair? Porque eu ainda espero que quando a campainha toque seja você chegando e eu faço aquela mesma cara de indiferença fingida que eu fazia antes de abrir a porta, o meu teatro tem sido mais inútil agora que ninguém entende os meus porquês. O peixe vai se chamar Zuza, de Cazuza sabe? Eu precisava de alguém pra cuidar, pra ocupar o meu tempo, ocupar minha mente, mas eu sei que o Zuza não vai substituir você [e os seus lábios nos meus, seu espaço vazio na cama].

Só uma pessoa sem criatividade e sem o objeto amado pode comprar um peixe e achar que ele substitui o ser amante. Eu confesso que ele tem sido minha única companhia nos últimos dias. Eu queria te contar que a minha vontade de escrever se foi junto com você e seu ar de inconfessável melancolia. A inspiração deixou um espaço vazio na cama, e um espaço maior ainda aqui dentro, e esse vazio dói e pesa.

Eu só espero que um dia você possa me entender, mas enquanto isso... vivamos da maneira como se deve viver.

Finalização com ajuda do meu querido amigo; Heitor Zanoni.

Obs: Totalmente auto-biográfico!

26 comentários:

Tati Messias disse...

Tão ruim estar oca.
Tão ruim perder um pedaço, né?

Beijo querida!

Eduardo Humbertto disse...

Adrielly...
Mais uma vez, muito obrigado pelas suas palavras, mesmo o texto tendo um sentido tão explicíto eu acho que vc entendeu todas as entrelinhas do que eu queria dizer.
As palavras de CLARICE caíram muito bem para esse momento que estamos vivendo, realmente faz todo o sentido, resume tudo o que poderíamos escrever a respeito.

Há tempos aguardava uma atualização sua aqui,e foi bom hoje poder ler algo seu, seus textos me fazem olhar pra dentro de mim, e me perguntar o que eu sinto... e tbm é solidão, o mesmo que vc disse: "momento meio isolamento involuntário".

Mudando um assunto:
Você foi a assistir a FARRA DOS ATORES, neh?!
Eu sou do elenco.
Uns dias depois a Hinu me disse que vc tinha ido assisti, pena que não ficou até o final pra gente se conhecer. Q q vc achou?
Aparece nas próximas!

Ah, me add no orkut:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=15746326313918193461

Valew pela atenção de sempre.
Beijo.

Fern. disse...

=~~Xu, não fique triste. Busque seus amigos, divirta-se. Seja feliz. Até porque seu amor é totalmente correspondido e isso é muito bom. Confie no amor e tudo dará certo, óquei?

Seja feliz, vc é amada!

beijos!

Fern. disse...

humm, uma bússola com o norte viciado? Se for na direção do amor, vou nesse caminho sim! Se é errado amar, vou errar a vida inteira, sem vergonha nenhuma na cara! hahahaha

Fui no show do Iron, e foi muuuuiiito bom! Meu primeiro show do Iron! Sensacional! 2011 tô lá de novo!!!

beijos mil, xuxu!

Fern. disse...

xu desculpa mas só hj eu coloquei seu selo no meu blog! =/

muito, muito, muuuuiiito obrigada!

Beijooo!

Insolente disse...

"Gosto do temperamento forte dele assim como gosto do seu."

Querida, parece incrível, parece ridículo, mas a dor vai diminuir. Eu sinto muito que alguém sinta algo próximo do que eu já senti, mas os clichês são verdadeiros.
Vai passar. E você vai ver, que bonito, quando isso acontecer.

Robin K disse...

Subitamente, a cama fica tão grande.....


Adorei. Como sempre, tocou-me profundamente.

Fez-me pensar em muita coisa da minha vida.

Otário disse...

EI! Visita-me em Blog-do-Otario

e dá a tua opinião na votação!

BlogDoOtario,
todas as Segundas às 15h15 uma nova rubrica!

Nunca a Segunda soube tão bem!

http://blog-do-otario.blogspot.com

-------------

para quando nova publicação?
na Páscoa?
;)

boa semana para si!

Anna disse...

Primeira vez que venho aqui, e já gostei demais! Teu texto é ótimo, menina. Gostei pra valer.
Beijos

Robin K disse...

Ultimamente também tenho andado assim. Sem inspiração.
Isso para mim significa um sofrimento maior. Significa que não consigo exteriorizar tudo o que vai dentro da minha alma e do meu coração.

Bem vinda de volta. Tive saudades dos seus textos.

meus instantes e momentos disse...

maneirissimo teu texto. Sincero, agudo, meio dor, meio saudade.
Mas acredite, antes de todos...voce.
E um dia vc não vai querer trocar é o peixe, acredite.
Maurizio

Roderick disse...

Podias ter comprado um bicho pior, sei lá!
Bem vinda no meu blog, cara linda. Volta sempre e com melhor ânimo, espero!

Gabriela Galvão disse...

Vim do da menina do abajour pra este. E lembrei q hj sonhei c um baiacuh.

Outro abraço e au revoir.

loira mexicana disse...

Estou visitando blogs novos para conhecer,apareci por aqui e gostei de te ler!
bjkas

Camila Colossi disse...

aain quee liindoo *-*
sabee axeei tao xeio de paixão esse textoo (:

Eu só espero que um dia você possa me entender, mas enquanto isso... vivamos da maneira como se deve viver.

sem palavraas *-*

Carol disse...

Ai...quanto sentimento!
Amor é uma coisinha chata, né?
É que nem droga, a gente tá bem enquanto tá junto...depois que fica longe a gente fica lutando pra não morrer...de amor...!
E a quem diga que se morre de amor!Seria doloroso e delicioso...
Mas de qualquer forma essa falta, esse acumulo de estantes vazias sempre nos faz bem quando lembramos que tem alguem pra preencher tudo isso!

Amei o texto...

Beijão, Dêh!

Moni disse...

sabe akele furacão que as vezes parece passar na nossa calmaria??? é por aí né flor?
masss .. como td nesa vida, td tempestade passa! fique bem! beijos

Pintura em Camisetas disse...

Olá!
Vim lhe convidar para que conheça um pouco do meu trabalho de pintura em camisetas!
Até

http://ramasppfp.sites.uol.com.br/pinturaemcamisetas.htm
http://ramasppfp.sites.uol.com.br/modelos.htm

Alan disse...

Acho que o nosso problema é achar que um outro vai preeencher o vazio... Mas o vazio, na minha concepçãó, é sempre vazio. É triste, mas é a conclusão que cheguei.

PS: Adorei o seu comentário... Espero que possamos nos identificar em posts alegres, algum dia...

Um grande beijo, querida! ;)

Tailany Silva disse...

O amor é bom, mas nos faz sofrer às vezes né? Ultimamente estou sofrendo pela falta que meu ex faz... q saudades, o amo demais... pena que eu acho que não tem volta! :(

Nina Vieira disse...

Pois é mocinha...
Carnaval e nostalgia.
Que bom q vc gostou da carta q te escrevi. Beijao.

Caroline disse...

eu entendo isso.
já comprei tantos cardumes imaginários...

beijo enorme!

Mary West disse...

Que droga cara, espero que tudo melhor. Foque-se em outras coisas, é a minha dica.

Candy disse...

Adrielly, oq aconteceu?
poxa, cadê ela?
=/

Ricardo Almeida disse...

Escritos autobiográficos podem ser relevantes pra muita gente além do nosso umbigo. Os seus são a prova disso. Você continua escrevendo deliciosamente bem!
Beijos pro Rumble Fish Zuza!

Layse disse...

é.. nas primeiras palavrinhas já deu pra perceber.. totalmente auto-biográfico... ;T
o que desejo é que você melhore, queridaaa! e que seus dias passem a te encher de mil motivos para ter inspiração!