quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Sobre Interpretação.



_Ela é infeliz ?

* Te digo que é. Ela é movida pela paixão.

_ E o que de mal há nisso? Somos todos movidos pelas paixões.

* Ouça bem, eu disse; Ela é movida pela paixão. No singular! Acontece que a paixão por alguém a move em todo e qualquer segmento; amoroso, social, profissional, acadêmico.

_ E o que de mal há nisso?

* É que sozinha ela é infeliz.

_ Mas ela está sozinha agora?

* Ela acha que está.

_ E porque ela é tão quieta? Porque ela não grita, se dilacera, pede ajuda? Porque ela não assume que precisa de alguém?

* Ela espera que não percebam. Ela espera que não vejam o quão vazia, oca e desinteressante ela é. Porque deve ser horrível se sentir vazia como ela se sente. Alguém que precisa incessantemente de algo que a complete. Ela espera que não percebam.

_ Deve ser um tédio ser ela não é? Alguém que ostenta o tempo todo, uma casa de fachada tão bonita, tendo que esconder a estrutura podre com madeiras corroídas por cupins. E o que ela faz?

* Ela enfeita os jardins da casa, mas não leva nenhum jarro de flores pra dentro. Pinta as paredes, ilumina com luzes brancas por fora, escondendo o interior sujo, escuro e cheirando a mofo.

_ E o que ela espera com isso?

* Alguém que não tenha tempo de olhar pra dentro. Que olhe aquela casa por fora e se apaixone por ela antes de entrar e remexer lá dentro, onde só ela sabe o que tem. Onde só ela sabe o que cheira mal, o que é podre e o que é fraco.

_ Mas que bobagem. Deve haver mais alguém que precise de paixões. Ela não precisa se esconder.

* Não, ela não precisa. Mas ela não quer que saibam o quão podre é a sua existência. Ela só não quer que saibam que ela veio ao mundo para amar inutilmente tudo aquilo que a faz bem. Ela não quer que saibam da precisão desesperada que ela tem de prender, guardar, reter tudo o que lhe causa prazer, alegria ou dor. Afinal, as pessoas não entendem porque tanta precisão. Ela não quer que saibam que ela é incompleta, e só.

_ Mas que bobagem! Como é que você pode tirar isso de uma foto? Isso tudo é uma bobagem Rafael. Será que agora você pode parar de olhar pra ela, tirar a sua roupa e tomar uma ducha ou ir pra banheira comigo?

8 comentários:

Kaká =D disse...

Adooreeeei a análise dele da foto!
Sensível ele hem?
Quase naum se acredita que eh imaginário!
=X

Amoreee
=*

Fernando Rozano disse...

excelente texto, como belo achado: "Ela é movida pela paixão. No singular." muito bom mesmo. abraços.

impulsos disse...

Olá!
Ainda não tinha tido tempo de vir aqui com um pouco de sossego para poder ler alguns dos teus escritos... hoje, agora, consegui!
E sabes que mais?
Adorei!!
Tens uma forma muito própria e peculiar de abordar os assuntos que queres mostrar ao mundo, segundo o teu ponto de vista.
Essa maneira de os expressar como se fossem um diálogo, é uma delícia.
Este último então... está demais!
Parabéns!!

Um beijo

Lu Morena disse...

Esse diálogo, ou melhor, a interpretação da mulher da foto me fez lembrar de outra mulher, uma que merecia um livro inteirinho só para si, de outro texto seu, aquele "Sobre o orgulho"...
bjins!

Ricardo Almeida disse...

Necessidade de guardar tudo... Ainda bem que é possível chutar o balde, ficar nu e brincar de não sentir dor.
bjs

♥M@cellY♥ disse...

Adorei!!!
Pena que muitos de nossos queridos tenham idólos de fachada, futeis e belos exteriormente!
Bom, agradecida pela visita! Volte sempre!

Bjo grande!

Betty Branco Martins disse...

________minha querida Adrielly



_____a análise que fazes a esta foto___________está perfeita



________na verdade_____nada mais a dizer:))









beijO c/ carinhO

Cadinho RoCo disse...

O simples fato de ser alguém já faz diferença brutal. Questão é saber ou perceber isso, para que a força do alguém eu possa agir em favor do eu alguém.
Cadinho RoCo